META
15
Secretaria Municipal de Educação
95% dos alunos com, no mínimo, nível de proficiência básico na Prova Brasil, nos anos iniciais e finais do Ensino Fundamental

Número ODS

Execução da Meta



Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
1° Sem 2° Sem 1° Sem 2° Sem 1° Sem 2° Sem 1° Sem 2° Sem - 2017-2018 2019-2020
Valores acumulados 1)88%
2)84%
3)82%
4)69%
-
1)91%
2)89%
3)88%
4)82%

1)95%
2)95%
3)95%
4)95%
Valores por período -

Informações adicionais sobre a execução da Meta

Para o monitoramento dessa meta, são considerados quatro indicadores, referentes ao desempenho dos alunos da rede municipal dos anos iniciais e finais do ensino fundamental na Prova Brasil, nas áreas de Língua Portuguesa e Matemática. A atualização de seus resultados ocorrerá tão logo sejam divulgados pelo Governo Federal, o que deverá ocorrer em meados de 2018.


Previsão Inicial: Primeiro resultado no 2º semestre de 2018
Status da Meta: No prazo

Último dado disponível: setembro/2015
Última atualização: julho/2018

  • Ficha TécnicaVer detalhes

    Ponto de partida

    Valor base
    1) Anos iniciais do EF, rede municipal (Língua Portuguesa): 88%;
    2) Anos iniciais do EF, rede municipal (Matemática): 84%;
    3) Anos finais do EF, rede municipal (Língua Portuguesa): 82%;
    4) Anos finais do EF, rede municipal (Matemática): 69%.

    Período base
    2015

    Projeção da meta

    2017-2018
    1) 91%
    2) 89%
    3) 88%
    4) 82%

    2019-2020
    1) 95%
    2) 95%
    3) 95%
    4) 95%

    Informações do indicador

    Descrição do indicador
    1) % de alunos nos anos iniciais do EF, da rede municipal, com proficiência, no mínimo, no nível básico na Prova Brasil, em Língua Portuguesa;
    2) % de alunos nos anos iniciais do EF, da rede municipal, com proficiência, no mínimo, no nível básico na Prova Brasil, em Matemática;
    3) % de alunos nos anos finais do EF, da rede municipal, com proficiência, no mínimo, no nível básico na Prova Brasil, em Língua Portuguesa;
    4) % de alunos nos anos finais do EF, da rede municipal, com proficiência, no mínimo, no nível básico na Prova Brasil, em Matemática.

    Fórmula de cálculo
    Número de alunos nos níveis de proficiência básico, proficiente e avançado na Prova Brasil, nos anos iniciais do EF, da rede municipal, em Língua Portuguesa / Total de alunos participantes da Prova, nos anos iniciais do EF, da rede municipal, em Língua Portuguesa (mesmo cálculo para matemática e para anos finais)

    Notas técnicas

    Nível de proficiência básico para Português é definido como pontuação acima de 149 em Leitura e Interpretação na Prova Brasil para o 5º ano e 199 para o 9º ano do ensino fundamental. Em Matemática, esses valores são de 174 em Resolução de Problemas para o 5º ano e 224 para o 9º ano.

    Unidade de medida
    %

    Frequência
    Bienal

    Fonte
    Ministério da Educação/ Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Informações Adicionais
julho/2018

A divulgação dos resultados da Prova Brasil e do Ideb de 2017 ocorrerá apenas no segundo semestre de 2018, quando serão também atualizados nesta plataforma.

Para o alcance da meta, a Secretaria Municipal de Educação, além de incorporar o princípio da aprendizagem com equidade em todos os seus materiais e formações, tem implementado ações que buscam assegurar condições adequadas para a aprendizagem de todos os estudantes, com especial atenção àqueles com aprendizagem abaixo do considerado adequado, com deficiência e transtornos globais do desenvolvimento (TGD) e em contextos de vulnerabilidade.

Nesse sentido, as avaliações externas - Avaliação Diagnóstica, Avaliação Semestral, Prova São Paulo e Provinha São Paulo - representam ferramentas centrais para o acompanhamento das aprendizagens e, consequentemente, na identificação dos estudantes que demandam um acompanhamento mais intensivo por parte das escolas e Diretorias Regionais de Educação.

Além do acompanhamento pedagógico mais intensivo a estudantes e escolas prioritárias, a SME intensificou a formação de professores de recuperação paralela, complementando a formação oferecida nas DREs com uma formação centralizada realizada na própria Secretaria Municipal de Educação, buscando maior alinhamento entre as ações realizadas em toda a cidade.

No que se refere ao acompanhamento dos estudantes com quadros de deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação, destaca-se a formação dos professores e coordenadores pedagógicos para a adoção do Sistema de Gestão Pedagógica (SGP) no Atendimento Educacional Especializado (AEE), o que permitirá, a partir do segundo semestre desse ano, realizar o acompanhamento sistemático da frequência e do trabalho desenvolvido com o objetivo de assegurar a eliminação de barreiras que possam dificultar a aprendizagem e a plena participação desses estudantes.

O acompanhamento de estudantes em contextos vulneráveis ou atendidos por serviços de saúde mental continua sendo realizado pelas equipes do Núcleo de Apoio e Acompanhamento para Aprendizagem em todas as Diretorias Regionais de Educação, tanto pelo atendimento em itinerância nas escolas quanto pela organização de grupos de trabalho regionais, que têm passado por um processo de reformulação para maior alinhamento das ações realizadas em toda a cidade.

Mais detalhes sobre as ações realizadas para o alcance dessa meta podem ser visualizados nos projetos estratégicos relacionados a essa meta: 20 - Alfabetização, 21 - Apoio Pedagógico, 22 - Avaliação Externa, 23 - Currículo da Cidade e 24 - Acesso e Permanência e 25 - São Paulo Educadora.Os resultados referentes a essa meta serão divulgados nessa plataforma tão logo sejam divulgados pelo INEP/MEC.

janeiro/2018

Os dados referentes à proficiência na Prova Brasil ainda não foram divulgados. A última aplicação desta Prova ocorreu em 2017, mas seus resultados serão publicados somente em 2018. Com o objetivo de promover equidade nas aprendizagens e garantir que todos os alunos obtenham níveis satisfatórios de aprendizado, foram previstas ações específicas em todos os projetos mencionados nas metas relacionadas ao IDEB. Além disso, os projetos Apoio Pedagógico e Acesso e Permanência foram estruturados visando cumprir esses objetivos de maneira mais direta. O primeiro contempla, entre outros aspectos, ações voltadas à expansão e melhoria do atendimento aos alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotação. Nesse mesmo projeto, estão previstas ações de formação para os profissionais da educação voltadas à garantia da aprendizagem dos alunos em contextos de vulnerabilidade, violações de direitos e/ou questões relacionadas a saúde mental. O projeto Acesso e Permanência prevê ações para a melhoria da capacidade do acolhimento das escolas, articulação com a rede de proteção social e aprimoramento do acompanhamento da frequência escolar e do aprendizado, com especial atenção aos alunos com risco de reprovação e/ou evasão escolar.