META
2
Secretaria Municipal da Saúde
Reduzir em 5% (7 óbitos prematuros em 100.000 residentes) a taxa de mortalidade precoce por Doenças Crônicas Não Transmissíveis selecionadas, contribuindo para o aumento da expectativa de vida saudável

Regionalização


Prog. de Governo

Número ODS

Execução da Meta



Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
1° Sem 2° Sem 1° Sem 2° Sem 1° Sem 2° Sem 1° Sem 2° Sem - 2017-2018 2019-2020
Valores acumulados 139.8 136.7 - 136.3 132.8
Valores por período 136.7 -

Status da Meta: Em andamento

Último dado disponível: dezembro/2017
Última atualização: julho/2018

2017 2018 2019 2020 Valor Acumulado - Projeção para
2017-2020
1° Sem 2° Sem 1° Sem 2° Sem 1° Sem 2° Sem 1° Sem 2° Sem
Aricanduva 136,7 136,7 -
Butantã 90,8 90,8 -
Campo Limpo 111,6 111,6 -
Capela do Socorro 159,5 159,5 -
Casa Verde 177,9 177,9 -
Cidade Ademar 140 140 -
Cidade Tiradentes 175 175 -
Ermelino Matarazzo 164,6 164,6 -
Freguesia/Brasilândia 169,5 169,5 -
Guaianases 179,2 179,2 -
Ipiranga 105,8 105,8 -
Itaim Paulista 142 142 -
Itaquera 156,6 156,6 -
Jabaquara 135 135 -
Jaçanã/Tremembé 138,5 138,5 -
Lapa 73,3 73,3 -
M'Boi Mirim 129,4 129,4 -
Mooca 120,2 120,2 -
Parelheiros 145 145 -
Penha 139,4 139,4 -
Perus 111,9 111,9 -
Pinheiros 39,4 39,4 -
Pirituba/Jaraguá 158,4 158,4 -
Santana/Tucuruvi 124,8 124,8 -
Santo Amaro 95,3 95,3 -
São Mateus 145,6 145,6 -
São Miguel Paulista 181 181 -
Sapopemba 137,1 137,1 -
87,5 87,5 -
Vila Maria/Vila Guilherme 139 139 -
Vila Mariana 57,1 57,1 -
Vila Prudente 122 122 -
A definir -

Último dado disponível: dezembro/2017
Última atualização: julho/2018

  • Ficha TécnicaVer detalhes

    Ponto de partida

    Valor base
    139,8 em 100.000

    Período base
    2015

    Variação 2013-2016
    -6,4 em 100.000 (-4%)

    Projeção da meta

    2017-2018
    136,3 em 100.000
    -3,5 em 100.000 no biênio (-2,5%)

    2019-2020
    132,8 em 100.000
    -3,5 em 100.000 no biênio (-2,5%)

    Informações do indicador

    Descrição do indicador
    Indicador de mortalidade precoce (30-69 anos) por Doenças Crônicas Não Transmissíveis selecionadas (DCNT).

    Fórmula de cálculo
    Número de óbitos prematuros (de 30 a 69 anos) por DCNT selecionadas em determinado ano, em residentes no município de São Paulo / População de 30 a 69 anos x 100.000

    Notas técnicas

    É considerada precoce a morte por doenças crônicas na faixa etária de 30-69 anos (fonte: Organização Mundial da Saúde). Foram selecionadas Doenças Crônicas Não Transmissíveis: isquêmicas do coração, cerebrovasculares, hipertensão arterial, diabetes, pulmonares obstrutivas e insuficiência cardíaca. O cálculo foi realizado por meio da comparação entre o valor base de 2015 (139,8 em 100.000) e o valor base de 2012 (146,2 em 100.000), pois os valores finais de 2016 ainda não estão disponíveis. Variação 2013-2015 = 146,2 em 100.000 menos 139,8 em 100.000 = 6,4 em 100.000.

    Unidade de medida
    /100.000

    Frequência
    Anual

    Fonte
    Secretaria Municipal de Saúde (Sistema de Informação sobre Mortalidade/SIM; Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados/ Fundação SEADE)

Informações Adicionais
julho/2018

As taxas que medem mortalidade possuem um significativo lapso temporal para sua apuração, realizada inicialmente pelo Ministério da Saúde que fornece os dados para os municípios realizarem sua própria apuração e análise. Em 2017 as bases de dados de mortalidade referentes a taxa de 2015 foram atualizadas por meio da retroalimentação da base nacional, o que altera a taxa do município. Com isso, o valor base da meta que foi calculado por meio meio da comparação entre o valor base de 2015 (139,8 em 100.000) e o valor base de 2012 (146,2 em 100.000), foi atualizado e por consequência a taxa e suas projeções. O valor base correto para o referido período é o de 147,7, com projeção de redução para 144,0 em 2018 e 140,4 em 2020. Também em 2017 foi possível apurar a taxa de 2016 que implicou no aumento da mortalidade para 150,2. Isso implica que, como reduzimos a taxa de mortalidade em 2017 para 136,7, reduzimos 11% da mortalidade em comparação ao valor base recalculado de 2012 e 2015, e 13,5% em comparação a 2016, ano imediatamente anterior a implantação deste Programa de Metas. A atualização de tais valores no computo da meta deve ocorrer no balanço anual a ser realizado no próximo semestre.

janeiro/2018

Os resultados desta meta não podem ser aferidos neste momento, pois a taxa de mortalidade precoce por Doenças Crônicas Não Transmissíveis selecionadas depende do fechamento e revisão dos dados de óbitos de 2017 e, portanto, somente será publicada no balanço do primeiro semestre de 2018.