• Ficha TécnicaVer detalhes

    Nome descritivo

    Fortalecer o acompanhamento e apoio pedagógico às escolas e alunos, em especial àqueles com desempenho abaixo do adequado nas avaliações internas e externas.

    Situação encontrada

    Em 2015, o município superou sua meta do IDEB para os anos iniciais do ensino fundamental, alcançando 5,8 pontos. Apesar disso, nessa etapa, 12% dos alunos não alcançaram o aprendizado suficiente em Língua Portuguesa e 16% em Matemática. Nos anos finais, houve uma leve queda no índice entre 2013 e 2015, de modo que o resultado no último ano foi 1,0 ponto inferior à meta. Nessa etapa, 18% dos alunos do 9º ano não tiveram o aprendizado suficiente em Língua Portuguesa e 31% em Matemática. Além disso, a taxa de reprovação, especialmente nos anos finais, permanece alta (7,5% em 2015) e sem apresentar tendência de queda.

    Resultados esperados

    Redução das desigualdades no desempenho de estudantes entre escolas e dentro de uma mesma escola, levando também à redução da distorção idade-série e do abandono escolar, garantindo a conclusão do ensino fundamental com o aprendizado esperado e na idade adequada.

    Orçamento

    Recursos próprios Outros recursos
    Investimento R$ 0,0 milhões R$ 0,0 milhões
    Custeio R$ 21,3 milhões R$ 0,0 milhões
  • Execução OrçamentáriaVer detalhes
    2017 2018
    Recursos próprios Outros recursos Total Recursos próprios Outros recursos Total
    Investimento R$ 0,00 milhões R$ 0,00 milhões R$ 0,00 milhões R$ 0,00 milhões R$ 0,00 milhões R$ 0,00 milhões
    Custeio R$ 0,13 milhões R$ 0,00 milhões R$ 0,13 milhões R$ 0,89 milhões R$ 0,00 milhões R$ 0,89 milhões
    Total R$ 0,13 milhões R$ 0,00 milhões R$ 0,13 milhões R$ 0,89 milhões R$ 0,00 milhões R$ 0,89 milhões

    Para informações sobre os critérios para apuração da execução orçamentária, clique aqui.

    Informações Adicionais

    março/2019
    Com a intensificação das ações para implementação do Currículo da Cidade do Ensino Fundamental, foram ampliadas as contratações de assessores para a formação de professores especialistas, que, combinadas às demais despesas relacionadas ao tema (infraestrutura para seminários, por exemplo) totalizaram R$ 287.342,20.
    A maior parte das despesas relacionadas a esse projeto estratégico, entretanto, são produto da expansão do Projeto Rede (apoio funcional a estudantes com deficiência), que, desde setembro, teve seu quadro de profissionais ampliado nas escolas, com custo adicional de R$ 434.311,50.
    As demais despesas do projeto são relativas à contratação de assessorias para a formação de profissionais da educação especial (R$ 63.302,00) e dos Núcleos de Apoio e Acompanhamento para Aprendizagem - NAAPAs (R$ 44.100,00), bem como à expansão de estagiários do quadro Aprender sem Limite (R$ 54.427,32).

    julho/2018

    As despesas do projeto 21 - Apoio Pedagógico em 2017 são compostas pela contratação de assessores para a SME e para as DREs na formação de professores de Língua Portuguesa, Matemática e Ciências do Ensino Fundamental II, bem como para a formação de profissionais da Educação Especial. Além disso, as despesas incluem os custos para a criação do módulo AEE no SGP, a ser implementado nas unidades educacionais no 2º semestre de 2018 (a formação para uso pelos professores e CPs ocorreu no 1º semestre de 2018).

    Conforme previsto na Lei Orçamentária Anual de 2017, não houve expansão no número de profissionais no Projeto Rede ou de estagiários do quadro Aprender sem Limite, não gerando, assim, despesas adicionais na linha de ação 3, correspondente à maior parte das despesas do projeto.

    As ações das linhas de ação 2 e 4 são implementadas exclusivamente por profissionais da SME e das DREs, não representando, portanto, despesas diretas relacionadas ao projeto.

Linhas de Ação
  • 21.1 Ofertar formação específica permanente para os professores do Ensino Fundamental II

    Regionalização
    Suprarregional

    Descrição do Indicador
    Percentual de professores dos anos finais do ensino fundamental concluintes de ações de formação específica

    Execução da linha de ação
    Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem -
    Desempenho do Indicador 0,0% 12,6% 12,2% 25,1% 30,9% - 60,0%
    Execução Orçamentária
    2017 2018 2019 2020 Total
    R$ 64.984,00 R$ 287.342,00 R$ 352.326,00

    Último dado disponível: dezembro/2018
    Última atualização: março/2019

  • 21.2 Ofertar formação para as equipes pedagógicas das DREs sobre organização de plano de ação e acompanhamento de aprendizagem

    Regionalização
    Suprarregional

    Descrição do Indicador
    Percentual de equipes pedagógicas das DREs com formação sobre organização de plano de ação e acompanhamento de aprendizagem

    Execução da linha de ação
    Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem -
    Desempenho do Indicador N/A 100,0% 100,0% 100,0% 100% - 100%

    Último dado disponível: dezembro/2018
    Última atualização: março/2019

  • 21.3 Ofertar atendimento educacional especializado e garantir serviços de apoio aos alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento, altas habilidades e superdotação

    Regionalização
    Suprarregional

    Descrição do Indicador
    Soma do número de alunos atendidos por cada serviço e apoio da educação especial

    Execução da linha de ação
    Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem -
    Desempenho do Indicador 20029 N/D 20029 20451 20008 - 17580
    Execução Orçamentária
    2017 2018 2019 2020 Total
    R$ 68.819,00 R$ 552.040,00 R$ 620.860,00

    Último dado disponível: dezembro/2018
    Última atualização: março/2019

  • 21.4 Promover apoio pedagógico nas unidades educacionais para garantia da aprendizagem dos alunos em contextos vulneráveis, com violações de direitos e/ou questões relacionadas a saúde mental

    Regionalização
    Suprarregional

    Descrição do Indicador
    Acompanhamento de unidades educacionais realizado pelas equipes do NAAPA nas DREs

    Execução da linha de ação
    Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem -
    Valores acumulados N/A 2204 5733 8191 11492 - 12745
    Valores por perí­odo - 2204 3529 2458 3301 -
    Execução Orçamentária
    2017 2018 2019 2020 Total
    R$ 0,00 R$ 52.920,00 R$ 52.920,00

    Último dado disponível: dezembro/2018
    Última atualização: março/2019

Informações Adicionais
março/2019

No 2º semestre de 2018, a Secretaria Municipal de Educação deu continuidade às ações previstas no projeto Apoio Pedagógico, visando garantir a aprendizagem com equidade a todos os estudantes do ensino fundamental. Espera-se que tais ações resultem em melhorias nos indicadores de aprendizagem e fluxo escolar, refletidos nas metas 13, 14, 15 e 16 do Programa de Metas 2017-2020.

Na frente de formação de professores especialistas (linha de ação 1), o semestre foi marcado pela conclusão dos cursos de formação para implementação do Currículo da Cidade de São Paulo. Os dados já processados indicam que 21,2% dos professores especialistas do ensino fundamental já passaram por alguma formação em sua área de atuação desde 2017. Além disso, deu-se continuidade à formação dos professores de sala de leitura, informática educativa e recuperação paralela, com destaque para o “I Seminário de Recuperação das Aprendizagens: caminhos e possibilidades”, que contou com a participação de 319 professores (80,2% do público total). O seminário tratou de conteúdos relacionados a Língua Portuguesa e Matemática - especificamente as dificuldades de aprendizagem nessas disciplinas - e contou com especialistas da área e professores da rede municipal, que expuseram suas práticas exitosas. No conjunto, essas ações garantiram que 30,9% dos professores considerados no indicador tenham passado por alguma formação em sua área de atuação. Com o processamento de novos dados sobre formações oferecidas no período, o valor deverá ser corrigido para cima.

A SME também deu continuidade aos encontros formativos permanentes com as Diretorias Regionais de Educação para acompanhamento da aprendizagem e implementação de planos de ação específicos voltados às escolas com piores indicadores de aprendizagem (linha de ação 2).

Na educação especial (linha de ação 3), foi ampliado o serviço de apoio funcional a estudantes com deficiência que não possuem autonomia em atividades da vida diária (Projeto Rede), que, em novembro, atendia 4.502 estudantes, frente a 4.311 no mesmo mês de 2017. Também foi expandido o número de estagiários para apoio aos professores, que chegou a 2.532 em novembro, em comparação a 2.376 do mesmo mês do ano anterior. A SME está dedicando esforços à divulgação e à facilitação do processo de recrutamento de estagiários para garantir o melhor aproveitamento das vagas existentes, que passaram de 2.470 para 2.700 em agosto, bem como para a ampliação dos demais serviços de apoio previstos na Política Paulistana de Educação Especial.

Também tiveram continuidade as ações do Núcleo de Apoio e Acompanhamento para Aprendizagem (NAAPA) para apoio às equipes escolares visando assegurar a permanência, o desenvolvimento e a aprendizagem de crianças e adolescentes que, por razões sociais, culturais ou emocionais, têm tido prejuízos no seu processo de escolarização. Estas ações se concretizam por meio das itinerâncias (“visitas”) nas escolas e pela organização dos grupos de trabalho com os educadores nas DREs. Além disto, o núcleo dedica-se regularmente ao trabalho de articulação da Rede de Proteção Local, em especial das áreas de saúde e assistência social, buscando contemplar necessidades específicas de cuidados de cada estudante acompanhado.

julho/2018

O projeto Apoio Pedagógico estrutura-se em quatro linhas de ação: formação de professores dos anos finais do ensino fundamental e de recuperação paralela; acompanhamento pedagógico de escolas e estudantes considerados prioritários; ampliação e aprimoramento dos serviços e apoios voltados aos estudantes com deficiência, TGD e altas habilidades/superdotação; e acompanhamento dos estudantes em contextos vulneráveis. Espera-se que essas estratégias contribuam, em seu conjunto, para a melhoria geral da aprendizagem combinada à redução das desigualdades entre estudantes e unidades educacionais.

A formação de professores dos anos finais do ensino fundamental teve como principal iniciativa a formação de professores multiplicadores para a implementação do Currículo da Cidade, sendo um por componente curricular por escola, totalizando mais de 4 mil professores. Os dados dessas ações de formação ainda estão sendo sistematizados e, portanto, não estão sendo considerados no valor apresentado para o indicador, o que explica sua pequena variação. Com sua consolidação, entretanto, espera-se ampliar o percentual de professores formados para aproximadamente 50%.

Além do acompanhamento pedagógico mais intensivo a estudantes e escolas prioritárias, a SME intensificou a formação de professores de recuperação paralela, complementando a formação oferecida nas DREs com uma formação centralizada realizada na própria Secretaria Municipal de Educação, de modo a garantir maior alinhamento entre as ações realizadas em toda a cidade. Participaram dessa formação 72,5% dos professores atuantes na recuperação paralela no semestre.

Os professores designados nas áreas de Tecnologias para a Aprendizagem e Sala de Leitura também continuaram passando por formações mensais nas Diretorias Regionais de Educação, que, em ambos os casos, foram complementadas por uma formação ofertada diretamente pela SME.

O mesmo aconteceu com os profissionais que atuam nos Centros de Formação e Acompanhamento à Inclusão (CEFAIs) e com os professores de Atendimento Educacional Especializado (PAEEs), que atendem os estudantes com deficiência, TGD e altas habilidades/superdotação. A esses profissionais, foi ofertada formação contínua mensal ao longo de todo o período.

Quanto ao acompanhamento do desenvolvimento e da aprendizagem dos educandos público-alvo da educação especial, a adoção do Sistema de Gestão Pedagógica (SGP) no AEE, a partir do segundo semestre desse ano, permitirá o acompanhamento sistemático da frequência e do trabalho realizado, bem como possibilitará aos professores o acesso a todas as informações sobre o desempenho desses estudantes. A formação para utilização do sistema está sendo oferecida, nesse momento, a todos os professores da área.

Além disso, está em fase de conclusão o processo que permitirá a ampliação do quadro de estagiários Aprender sem Limite para apoio aos professores em turmas com estudantes com deficiência. A partir de agosto, o número de estagiários nesse quadro será ampliado de 2.470 para 2.700.

O acompanhamento de estudantes em contextos vulneráveis ou atendidos por serviços de saúde mental continua sendo realizado pelas equipes do Núcleo de Apoio e Acompanhamento para Aprendizagem em todas as Diretorias Regionais de Educação, tanto pelo atendimento em itinerância nas escolas quanto pela organização de grupos de trabalho regionais, que têm passado por um processo de reformulação para maior alinhamento das ações realizadas em toda a cidade.

janeiro/2018
Em 2017, a SME organizou formação para todos os formadores das Diretorias Regionais de Educação (DREs) tendo como público final professores de Língua Portuguesa, professores de Matemática, professores de Ciências, professores da Recuperação Paralela, professores alfabetizadores e coordenadores Pedagógicos.

Além de subsidiar as ações formativas organizadas para professores nas DREs, essa formação tratou dos aspectos relacionados ao conteúdo das áreas e também ao acompanhamento das aprendizagens, baseados nos dados das sondagens das hipóteses de escrita e resolução de problemas, bem como resultados das avaliações externas realizadas.

Além disso, a equipe da Divisão de Ensino Fundamental e Médio (DIEFEM) fez visitas mensais de acompanhamento nas DREs com o objetivo de auxiliar as equipes na articulação das metas da SME, resultados das avaliações e ações planejadas pela equipe de formação da DIPED (a serem realizadas com professores e CPs das escolas). As escolas com IDEB menor foram acompanhadas pelas próprias DREs, que realizaram encontros com equipes gestoras e formação na própria escola.

Em 2018, passarão por formação professores de todos os componentes curriculares e professores do ensino fundamental I para implementação do currículo e conhecimento dos materiais curriculares produzidos pela SME, além dos CPs de todas as EMEFs. Também será feito um plano de acompanhamento mais intensivo das escolas com menores índices nas avaliações externas.

Na área de educação especial, foi concluído o módulo de Atendimento Educacional Especializado (AEE) no Sistema de Gestão Pedagógica, que permitirá o acompanhamento contínuo da frequência e do desenvolvimento dos alunos atendidos a partir de 2018 pelas unidades educacionais, DREs e SME. Também foi dada continuidade à formação dos profissionais dos Centros de Formação e Acompanhamento à Inclusão (CEFAIs) das 13 DREs e, a partir deles, dos professores do AEE, com frequência mensal. Nesse momento, estão em andamento revisões contratuais, normativas e gerenciais que permitirão a expansão e a melhoria da qualidade dos serviços de Auxiliar de Vida Escolar (AVEs) e estagiários em 2018.

As equipes dos NAAPAs nas DREs também deram continuidade à itinerância nas unidades educacionais e à realização dos grupos de trabalho, com uma média de mais de 200 unidades educacionais visitadas por mês.