• Ficha TécnicaVer detalhes

    Nome descritivo

    Programa de ampliação da coleta seletiva para reaproveitamento de resíduos sólidos urbanos. Atuação na minimização do descarte juntamente com aumento da coleta em três frentes: resíduos domicilares, logistica reversa e orgânicos.

    Situação encontrada

    A cidade de São Paulo gera volumes expressivos de resíduos todos os dias. Em 2016, a cidade produziu quase 15 mil toneladas/ dia, totalizando 5,5 milhões de toneladas ao ano. O resíduo domiciliar representou 66% e a coleta seletiva 1,6% deste volume total. Estudos gravimétricos estimam que os resíduos domiciliares no município são compostos de 35% de resíduos sólidos secos, potencialmente recicláveis. Isto indica que, apesar da ampliação da cobertura da coleta seletiva nos últimos anos, há ainda um potencial de reciclagem domiciliar que, no entanto, é desperdiçado. Com isso, perde-se a oportunidade de geração de emprego e renda por meio da cadeia de reciclagem e gera-se um enorme passivo ambiental na forma dos aterros, cuja vida útil se reduz a cada dia. No caso dos orgânicos, é possivel atuar melhor no aproveitamento do material gerado nas escolas e em feiras livres antes do descarte. Além disso, pode-se aproveitar uma fração dos resíduos orgânicos provenientes das feiras (que vão para o aterro) direcionando-os para os 5 pátios de compostagens (somente 1 está em uso hoje). Outros tipos de resíduos como entulhos, podem ser melhor aproveitados quando feitas parcerias com os setores empresariais, para efetivação da logística reversa, diminuindo o volume destinado aos aterros (eletroeletrônico, madeira etc.), que equivale a 17,6 % do volume total produzido na cidade.

    Resultados esperados

    Ampliação do volume de coleta seletiva no município e redução do volume de resíduos recicláveis enviados a aterros, gerando impactos socioambientais positivos relacionados ao aumento da vida útil dos aterros, à redução do gasto energético com a produção de embalagens e outros produtos que compõem o lixo doméstico. Além disso, o resultado esperado também visa atuar no estímulo à inserção social dos catadores. Através de programas em três setores (resíduos domicilares, orgânicos e logistica reversa) promoveremos a diminuição do descarte e o aumento da coleta seletiva concomitantemente.

    Orçamento

    Recursos próprios Outros recursos
    Investimento R$ 25,2 milhões R$ 3,1 milhões
    Custeio R$ 274,2 milhões R$ 0,0 milhões
  • Execução OrçamentáriaVer detalhes
    2017 2018
    Recursos próprios Outros recursos Total Recursos próprios Outros recursos Total
    Investimento R$ 0,00 milhões R$ 0,21 milhões R$ 0,21 milhões R$ 0,18 milhões R$ 0,39 milhões R$ 0,57 milhões
    Custeio R$ 0,00 milhões R$ 0,00 milhões R$ 0,00 milhões R$ 10,38 milhões R$ 0,00 milhões R$ 10,38 milhões
    Total R$ 0,00 milhões R$ 0,21 milhões R$ 0,21 milhões R$ 10,56 milhões R$ 0,39 milhões R$ 10,95 milhões

    Para informações sobre os critérios para apuração da execução orçamentária, clique aqui.

    Informações Adicionais

    março/2019

Linhas de Ação
  • 34.1 Realizar diagnóstico aprofundado sobre a cadeia formal e informal de reciclagem da cidade de São Paulo.

    Regionalização
    Suprarregional

    Marco
    Relatório de resultados do diagnóstico

    Status da Linha de Ação
    Concluída

    Execução Orçamentária
    2017 2018 2019 2020 Total
    R$ 0,00 R$ 735.570,00 R$ 735.570,00

    Último dado disponível: -
    Última atualização: março/2019

  • 34.2 Implantar programa visando o reaproveitamento de 66% dos resíduos orgânicos provenientes de podas e feiras livres

    Regionalização
    Regionalizável

    Descrição do Indicador
    Percentual de resíduos de feiras e podas de árvores reaproveitados

    Execução da linha de ação
    Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem -
    Desempenho do Indicador 88.0% 79.0% 72.0% - 66.0%
    Execução Orçamentária
    2017 2018 2019 2020 Total
    R$ 0,00 R$ 3.744.000,00 R$ 3.744.000,00

    Último dado disponível: -
    Última atualização: março/2019

    2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem
    Aricanduva -
    Butantã -
    Campo Limpo -
    Capela do Socorro -
    Casa Verde -
    Cidade Ademar -
    Cidade Tiradentes -
    Ermelino Matarazzo -
    Freguesia/Brasilândia -
    Guaianases -
    Ipiranga -
    Itaim Paulista -
    Itaquera -
    Jabaquara -
    Jaçanã/Tremembé -
    Lapa -
    M'Boi Mirim -
    Mooca -
    Parelheiros -
    Penha -
    Perus -
    Pinheiros -
    Pirituba/Jaraguá -
    Santana/Tucuruvi -
    Santo Amaro -
    São Mateus -
    São Miguel Paulista -
    Sapopemba -
    -
    Vila Maria/Vila Guilherme -
    Vila Mariana -
    Vila Prudente -
    A definir -

    Último dado disponível: -
    Última atualização: julho/2018

  • 34.3 Implantar Programa de Gestão de Resíduos Orgânicos em 1.525 escolas públicas municipais que dispoem de área disponível para compostagem

    Regionalização
    Regionalizável

    Descrição do Indicador
    Quantidade de adesões das escolas que possuem área disponível para compostagem.

    Execução da linha de ação
    Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem -
    Valores acumulados 0 - 1525
    Valores por perí­odo - -
    Execução Orçamentária
    2017 2018 2019 2020 Total
    R$ 0,00 R$ 294.228,00 R$ 294.228,00

    Último dado disponível: dezembro/2018
    Última atualização: março/2019

    2017 2018 2019 2020 Valor Acumulado - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem
    Aricanduva -
    Butantã -
    Campo Limpo -
    Capela do Socorro -
    Casa Verde -
    Cidade Ademar -
    Cidade Tiradentes -
    Ermelino Matarazzo -
    Freguesia/Brasilândia -
    Guaianases -
    Ipiranga -
    Itaim Paulista -
    Itaquera -
    Jabaquara -
    Jaçanã/Tremembé -
    Lapa -
    M'Boi Mirim -
    Mooca -
    Parelheiros -
    Penha -
    Perus -
    Pinheiros -
    Pirituba/Jaraguá -
    Santana/Tucuruvi -
    Santo Amaro -
    São Mateus -
    São Miguel Paulista -
    Sapopemba -
    -
    Vila Maria/Vila Guilherme -
    Vila Mariana -
    Vila Prudente -
    A definir -

    Último dado disponível: -
    Última atualização: fevereiro/2019

  • 34.4 Avaliação das cooperativas colaboradoras e credenciadas do município de São Paulo para auxiliar na tomada de decisão e formulação de ações e estratégias para o fortalecimento da rede de coleta seletiva.

    Regionalização
    Suprarregional

    Marco
    Relatório de resultados da avaliação

    Status da Linha de Ação
    Concluída

    Último dado disponível: dezembro/2018
    Última atualização: março/2019

  • 34.5 Implantar programa de qualificação técnica e melhoria de gestão das cooperativas, sistema de monitoramento de sua sustentabilidade e inserção social de novos integrantes, para 2100 pessoas

    Regionalização
    Suprarregional

    Descrição do Indicador
    Catadores e cooperados qualificados tecnicamente.

    Execução da linha de ação
    Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem -
    Valores acumulados 0 - 2100
    Valores por perí­odo - -
    Execução Orçamentária
    2017 2018 2019 2020 Total
    R$ 210.200,00 R$ 571.950,00 R$ 782.150,00

    Último dado disponível: dezembro/2018
    Última atualização: março/2019

  • 34.6 Ampliar e otimizar a coleta seletiva em São Paulo, reorganizando a área coberta pelas concessionárias e cooperativas, visando ampliar em 127% (108 mil ton) o volume coletado até 2020

    Regionalização
    Regionalizável

    Descrição do Indicador
    Volume da coleta seletiva em relação ao valor de 2016

    Execução da linha de ação
    Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem -
    Desempenho do Indicador 84590 43526 87920 38426 76907 - 192590
    Informações adicionais sobre a execução da linha de ação

    Os dados de Coleta Seletiva por Subprefeituras são aproximados, algumas vezes a logística cobre outras áreas para aproveitamento da rota.

    Execução Orçamentária
    2017 2018 2019 2020 Total
    R$ 0,00 R$ 264.000,00 R$ 264.000,00

    Último dado disponível: -
    Última atualização: março/2019

    2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem
    Aricanduva 539 482 571 643 -
    Butantã 1658 1628 1542 1626 -
    Campo Limpo 1949 1903 1715 1837 -
    Capela do Socorro 3007 3063 1895 1774 -
    Casa Verde 472 487 372 383 -
    Cidade Ademar 1036 994 968 1004 -
    Cidade Tiradentes 90 96 93 85 -
    Ermelino Matarazzo 934 982 781 759 -
    Freguesia/Brasilândia 503 476 482 451 -
    Guaianases 274 270 204 195 -
    Ipiranga 2477 2576 2253 2173 -
    Itaim Paulista 205 164 94 91 -
    Itaquera 570 583 518 555 -
    Jabaquara 1180 1142 1104 1098 -
    Jaçanã/Tremembé 391 515 565 692 -
    Lapa 3470 3283 3128 2776 -
    M'Boi Mirim 645 753 797 818 -
    Mooca 1850 2218 1309 1444 -
    Parelheiros 0 0 0 189 -
    Penha 742 626 713 780 -
    Perus 33 25 97 72 -
    Pinheiros 4050 4103 3707 3549 -
    Pirituba/Jaraguá 1065 1234 855 910 -
    Santana/Tucuruvi 1434 1404 1216 1165 -
    Santo Amaro 2570 2579 2352 2344 -
    São Mateus 908 914 407 413 -
    São Miguel Paulista 407 366 124 131 -
    Sapopemba 357 375 374 362 -
    3306 3380 2913 2896 -
    Vila Maria/Vila Guilherme 435 468 382 394 -
    Vila Mariana 6081 6355 5940 6022 -
    Vila Prudente 888 947 904 897 -
    A definir 0 1 82 0 -

    Último dado disponível: junho/2018
    Última atualização: março/2019

  • 34.7 Implantar a coleta seletiva em 100% dos edifícios públicos municipais.

    Regionalização
    Suprarregional

    Descrição do Indicador
    Percentual de edifícios públicos com coleta Seletiva

    Execução da linha de ação
    Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem -
    Desempenho do Indicador 0 - 100

    Último dado disponível: dezembro/2018
    Última atualização: março/2019

  • 34.8 Assinar pelo menos 3 termos de compromissos ou adesões em acordos setoriais para implantação efetiva da logística reversa

    Regionalização
    Suprarregional

    Descrição do Indicador
    Nº de termos de compromisso ou adesões

    Execução da linha de ação
    Valor Base 2017 2018 2019 2020 - Projeção para
    2017-2020
    1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem 1º Sem 2º Sem -
    Valores acumulados 0 - 3
    Valores por perí­odo - -
    Execução Orçamentária
    2017 2018 2019 2020 Total
    R$ 0,00 R$ 735.570,00 R$ 735.570,00

    Último dado disponível: dezembro/2018
    Última atualização: março/2019

  • 34.9 Implementar ações de educação ambiental, comunicação e integração institucional para sensibilização dos munícipes com relação aos problemas ambientais gerados pelos resíduos urbanos.

    Regionalização
    Suprarregional

    Marco
    Implantação do Programa de comunicação e educação ambiental

    Status da Linha de Ação


    Execução Orçamentária
    2017 2018 2019 2020 Total
    R$ 0,00 R$ 4.606.206,00 R$ 4.606.206,00

    Último dado disponível: -
    Última atualização: março/2019

Informações Adicionais
março/2019
Reaproveitamento de resíduos de feiras e podas
Foram implantados quatro pátios de compostagem e foram treinados os feirantes de 122 feiras para segregar os resíduos orgânicos. Somado às 26 feiras que o pátio da Lapa cobre, temos já 17% das feiras contempladas com a segregação, coleta e destinação adequada do resíduo orgânico. Uma novidade é a implantação de um novo projeto 'Mercado Sustentáveis' que irá contribuir para a retirada de volume nos aterros, reencaminhando resíduos para alimentação humana, compostagem e cooperativas de triagem. Já no primeiro mês, o Mercado Kinjo Yamato reduziu em 50% os volumes enviados ao aterro. Sendo que 80% desta redução trata-se de resíduo orgânico que está sendo destinado ao pátio de compostagem da Sé. Programa de Gestão de Resíduos Orgânicos em escolas municipais
Em 2018, a equipe intersecretarial formada pela SME, AMLURB, SMS, COVISA, Eng. Agrônomo de Subprefeitura e a SMG redefiniu o escopo da Linha de Ação, desenhou o projeto e apresentou a um grupo de diretores escolares que se interessaram em participar. A partir disso, foi feita uma primeira etapa de diagnóstico in loco nestas escolas e levantado características técnica, comportamentais e de infraestrutura.

Coleta Seletiva em prédios públicos
Grande parte dos prédios públicos são escolas e unidades básicas de saúde. Estes prédios, por características inerentes ao tipo de serviço que prestam, não podem acumular resíduos por mais de um dia e os horários dispostos de coleta seletiva nem sempre atendem a suas características. Assim, AMLURB está desenvolvendo um novo modelo de Coleta Seletiva que permitirá atender estas peculiaridades juntamente com distritos dormitórios. Um piloto aconteceu e os primeiros resultados parecem promissores.

Ampliação e Otimização da Coleta Seletiva
Iniciamos o trabalho de universalização através de um piloto visando atender as dificuldades da sociedade em relação ao sistema atual de coleta seletiva que restringe dia e hora. Há distritos dormitórios, em que o cidadão não está presente para usar sistema. Este piloto já implantado em alguns distritos está disponibilizando containers e Pontos de Entregas Voluntárias permanentes e em maiores quantidades nestes territórios. Este piloto tem mostrado melhor adesão da sociedade e está sendo ampliado.

Capacitação de Catadores e Cooperados
Em 2018, a AMLURB fechou Termos de Compromisso com as secretarias SMADS e SMDE, contratou uma consultoria que modelou o programa final e já nos primeiros dias de 2019 houve o lançamento do programa ‘Reciclar para Capacitar’. Maiores informações: http://www.reciclarparacapacitar.prefeitura.sp.gov.br/ http://www.capital.sp.gov.br/noticia/prefeitura-lanca-programa-reciclar-para-capacitar

Ações de educação ambiental e comunicação para sensibilização dos munícipes
Em 2018, para a campanha Recicla Sampa foram produzidas 44 peças de comunicação (cartazes, folhetos); produção de 187 vídeos sobre resíduos, produção de um site com mapas de localização de reciclagem e dicas. É possível acessar via www.reciclsampa.com.br. Por ser ano eleitoral a divulgação não foi ampla.
Além disso, as concessionárias de coletas e empresas que prestam serviço de varrição têm ações de Comunicação e Educação Ambiental voltadas para seus territórios de atuação. Entre as principais ações podemos citar: Panfletagem para aderência ou alteração de dia/hora das coletas e outros serviços (ecopontos, coleta mecanizada etc.); Conscientização de prédios públicos (treinamentos); Visitas monitoradas nas suas instalações (pátios de compostagem, Centrais Mecanizadas de Triagem, Aterros e Transbordos) por escolas, entidades e cidadão; Programa de restauração de vilas e apoio à comunidade para limpeza; Projetos específicos como Ecomóvel que participa de feiras e eventos; Campanhas junto ao Prefeito Cidade Linda; Ação de comunicação na Av. Paulista para descarte correto do lixo.

Outra ação efetivada pela AMLURB e SMSUB foi a criação de Polos de Educação Ambiental em cada subprefeitura que irá ajudar na capilarização das ações de Educação Ambiental e Comunicação Social e em ações mais voltadas às necessidades específicas de seus territórios sobre a temática de resíduos. Cada Polo constitui-se de no mínimo 3 membros.

Assinar três termos de compromissos ou adesões em acordos setoriais para implantação efetiva da logística reversa
A AMLURB desenvolveu, ao invés de três, cinco diagnósticos dos seguimentos de Embalagens em Geral, Pilhas e Baterias, Lâmpadas Fluorescentes e afins, Pneus e Eletroeletrônicos.

Diagnóstico da Cadeia Formal e Informal
O diagnóstico da Cadeia Formal de resíduos foi entregue. O diagnóstico da cadeia informal é mais complexo, pois se algo na cidade está na informalidade, está oculto nos diversos sistemas de dados e possivelmente está na ilegalidade, dificultado assim, sua obtenção a menos que seja por pesquisa e amostragem. Assim, será um trabalho mais lento utilizando os recursos internos e suporte de outras secretarias. Na segunda parte de 2018, fechamos o plano de ação de como obter os dados e oferecer uma proposta de estudo para integração dos estabelecimentos de base e de níveis intermediários à economia formal e à cadeia da logística reversa.

julho/2018

Neste primeiro semestre de 2018 foi realizado o diagnóstico da cadeia formal e informal dos seguintes resíduos: lâmpadas, pneus, pilhas e baterias, óleo lubrificante usado, embalagens de óleo lubrificante, filtros de óleo lubrificante, medicamentos e embalagens em geral descartados pela população, assim como resíduos eletroeletrônicos. Esses resíduos compõe a logística reversa que integram a cadeia de reciclagem do município. Este diagnóstico nos ajudará a entender o fluxo dos materiais e propor melhoria principalmente nos acordos de logística reversa. O diagnóstico da cadeia informal ainda será complementado.

Em relação ao reaproveitamento de resíduos orgânicos de feiras livres, os locais de quatro novos Pátios de Compostagem já estão definidos e que seguem em fase de licenciamento ambiental.

Quanto à implantação de compostagem nas escolas, foi criado um grupo intersecretarial, que no primeiro momento levantaram os diversos projetos existentes na SME que cobrem hortas e compostagens. A partir disso, foi definido um escopo de implementar compostagem em escolas que possuem áreas verdes e que não participam de nenhum dos demais projetos. Em agosto, haverá um diagnóstico nas escolas selecionadas já como parte do projeto de implantação. O programa de qualificação técnica e melhoria de gestão das cooperativas já em fase de contratação.

A AMLURB segue em negociações com a entidade gestora do sistema de logística reversa de lâmpadas e com a entidade de classe representativa para a logística reversa de resíduos eletroeletrônicos (uso domésticos) e pilhas/baterias.

A campanha de comunicação Recicla Sampa está em fase final de implantação, com previsão para agosto, deste ano. A Prefeitura através de concessionárias efetua programas de conscientização ambiental para orientar sobre o descarte regular aos munícipes de porta em porta. Também atua em projetos que visam na recuperação de pontos degradados em comunidades, como o Vila Limpa e Varre Vila. Foi iniciado neste semestre a campanha especifica Recicla Sampa em nível experimental em quatro prédios públicos de prefeituras regionais com o envio de material de proteção de tela, cartazes digitais/impressos e adesivos nas lixeiras. Ajustes estão sendo feitos para a ampliação da campanha.

A coleta seletiva em prédios públicos, já está sendo executada em algumas unidades.

janeiro/2018

Em 2017, a AMLURB dedicou esforços à elaboração de projetos e à infraestrutura. Mesmo assim, o trabalho desenvolvido pela autarquia refletiu no bom resultado para atingir a meta, seguindo além do estimado para o ano. A partir de 2018, no entanto, todas as linhas de ação contempladas na meta estarão em plena atividade para a sua implantação.

Em resíduos orgânicos, a AMLURB preparou os quatro novos pátios de compostagem previstos para o período e que irão receber resíduos de frutas, legumes e verduras provenientes de cerca de 200 feiras. A AMLURB, juntamente com as secretarias municipais de Educação, Saúde e Gestão, trabalha exaustivamente no planejamento de um programa de gestão de resíduos sólidos nas escolas municipais. 

Na coleta seletiva de resíduos secos, as principais etapas são: preparar a estrutura para receber maior quantidade de resíduos, estimular os munícipes para a segregação dos materiais e, por fim, definir mecanismos de coleta do resíduo reciclável. No ano de 2017 foi dado o primeiro passo. A AMLURB organizou parte da estrutura de coleta seletiva. Por meio de um chamamento público, que teve por objetivo melhorar a rede, ampliou de 21 para 27 o número de cooperativas e associações de catadores beneficiadas pelo Programa de Coleta Seletiva Solidária. Além disso, a autarquia estruturou o processo de participação das mesmas, aperfeiçoando, assim, o monitoramento do serviço porta-a-porta da coleta seletiva. Para isso, foram instalados equipamentos de GPS nos caminhões para garantir o atendimento ao cidadão do serviço contratado. Em 2018 serão iniciadas a segunda e terceira etapas, visando incentivar os munícipes a segregar o resíduo nas residências e ajudá-los a entender onde e como ele deverá ser recolhido.

Em Logística Reversa – corresponsabilidade do fabricante/distribuidor em devolver ao setor produtivo o resíduo oriundo do material fabricado – foram estudadas na cidade de São Paulo cinco cadeias de materiais que participam da Política Nacional de Resíduos Sólidos, são elas: pneus, pilhas e baterias, lâmpadas e embalagens e eletroeletrônico. No caso do estudo de eletroeletrônico, trata-se de um projeto piloto encomendado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) executado pelo Japan International Cooperation Agency (JICA) e com colaboração da AMLURB, que foi implementado na prefeitura regional da Lapa. O objetivo deste projeto foi fornecer subsídios para o desenvolvimento de um possível acordo setorial com as empresas que atuam neste setor. Foi estudada a cadeia de eletroeletrônicos de pequeno e grande permitindo entender como se dá o descarte deste tipo de material, o comportamento do consumidor no descarte e possíveis alternativas para implantação do acordo setorial.

O ano de 2018 será de realizações. Para isso, a participação e o engajamento dos munícipes ao tema – gerando o senso de corresponsabilidade pelo resíduo gerado – serão essenciais para garantir o sucesso do projeto Recicla Sampa.